A importância do orçamento para a sua obra

Você sabe o que é orçamento e o motivo dele ser tão importante para o princípio de uma construção?

O orçamento nada mais é do que o levantamento dos custos financeiros e materiais da obra.  

A ausência do planejamento e da estimativa dos custos pode ocasionar em imprevistos e gastos inesperados durante a execução da obra. Visto isso, entenda agora as vantagens de um bom orçamento e como ele deve ser feito. 

Por que o orçamento é essencial?

A questão é simples, um orçamento bem feito te ajuda a programar os gastos que surgirão durante a execução. Sendo assim ele será responsável pela garantia do sucesso na sua obra.  

Com o orçamento em mãos antes do seu início, você tem a possibilidade de analisar e discutir alterações no seu projeto que podem diminuir os custos, pois o orçamento te dá uma odeia mais próxima do seu custo final. 

Além das vantagens já citadas, confira algumas outras: 

  • Previsão e controle dos gastos; 
  • Melhoria no tempo de entrega; 
  • Redução dos gastos e desperdícios; 
  • Maior tempo para negociação dos materiais;  
  • Mais facilidade no planejamento; 
  • Diminui a possibilidade de imprevistos.  

Agora que você já sabe os benefícios que um bom planejamento pode trazer, saiba também como elaborá-lo.  

Como elaborar o meu orçamento?  

Para ter uma boa planilha de orçamento é necessário o auxílio de um profissional que conheça  e tenha em mente, o tempo de obra, os materiais necessários e suas quantidades. Embora cada obra apresente suas próprias peculiaridades, é possível seguir um pequeno roteiro que será mais ou menos similar em grande parte das construções.  

  • Primeiro passo 

O primeiro passo é levantar os custos. Nesse levantamento é importante incluir a quantidade necessária de serviços e materiais. Portanto, faça pesquisas de mercado de acordo com a quantia necessária de cada material e serviço, assim o preço pode reduzir.  

  • Segundo passo  

O segundo passo é separar os serviços por etapas, sendo assim, dívida os serviços de acordo com suas categorias. Um bom cronograma de atividades facilita o controle da sua obra, bem como tempo e custo.  

  • Terceiro passo  

O terceiro passo é a Composição de Preços Unitários (CPU). Essa é a montagem dos custos da obra com cada serviço, ou seja, os equipamentos e mão de obra necessários.  

  • Quarto passo 

O quarto passo é definir os custos indiretos da obra. Esses são aqueles serviços que não estão diretamente ligados a execução da construção, mas ainda assim são importantes. Água, energia elétrica, alimentação e combustíveis são alguns exemplos de custos indiretos.  

  • Quinto passo  

O quinto passo é calcular o BDI, que significa Bonificações e Despesas Indiretas. No cálculo do BDI devem ser inclusos todos os custos, não somente as despesas indiretas, mas também os impostos da obra. Feito isso, logo após o resultado final deve ser incluído no orçamento da obra. 

  • Sexto passo 

O sexto passo é o passo final, ou seja, a planilha do seu orçamento. Nessa planilha você deve adicionar todas as informações adquiridas e averiguadas. Portanto, descreva todos os serviços, os preços unitários, os materiais e a quantidade de cada um, para que você chegue o mais próximo possível do custo final.  

Para um bom orçamento é necessário ter experiência nos custos de uma obra e no dia a dia da mesma. Sendo assim, caso você não possua essa facilidade, o melhor a se fazer é contratar uma equipe capacitada para te dar uma ideia real dos seus gastos como um todo.  

Se você vem procurando mais dicas sobre obra, então leia também o nosso post sobre economia na construção clicando aqui.

Veja mais sobre orçamentos no blog OrçaFascio através deste link.